Dicas & Novidades

Sinistralidade em navios de carga começa o ano em alta

17/01/2019
Fonte: FONTE: Revista Apólice
navio

No começo do ano, incêndios, colisões e tempestades foram responsáveis pela perda de contêineres e danos diversos nas embarcações pelo mundo

O ano de 2019 começou há pouco mais de duas semanas, mas o volume de sinistros envolvendo navios pelo mundo já chama atenção. Incêndios, colisões e tempestades foram responsáveis pela perda de contêineres e danos diversos nas embarcações.

Logo na madrugada de 2 de janeiro, o porta-contêiner MSC ZOE não suportou o mau tempo do mar do Norte e perdeu 270 contêineres. O navio é o terceiro maior navio do mundo para o transporte de cargas e saiu do Porto de Sines, em Portugal, com destino ao Porto de Bremerhaven, na Alemanha.

No dia seguinte, o navio porta-contentores Yantian Express, de bandeira Alemã, pegou fogo. Parte da carga de contêineres foi perdida enquanto o navio seguia nordeste da Ásia para Halifax, no Canadá.

Na manhã de 08 de janeiro, o navio petroleiro Aulac Fortune, também pegou fogo após uma grande explosão em tanques de carga a bordo, perto da Lamma Island, em Hong Kong. A superestrutura e o convés de carga ficaram devastadas.

Já no dia 09, durante as operações de carga do navio porta-contêineres Seamax New Haven, em Kaohsiung, Taiwan, 13 contêineres caíram no mar. Os contêineres não afundaram, mas a sua flutuação atrapalhou o tráfego do porto, além de obviamente danificar as cargas que estavam no seu interior.

Também na última semana de 2018, dois navios porta-contêineres colidiram no porto de Nansha em Guangzhou, na China. O navio Ren Jian 15 tentava atracar quando perdeu o controle e foi em direção ao Terminal de Contêineres, onde se encontrava ancorado o navio Hai Su 10. Na colisão, vários contêineres caíram no píer e muitos foram danificados. Ambos navios sofreram danos em seus cascos.

O crescimento do número de acidentes reforça a importância do seguro de transporte de cargas, que visa proteger as mercadorias contra os mais diversos riscos – como incêndios, queda, extravio e roubo – desde a origem até o seu destino final. Vale lembrar ainda que, dependendo da apólice, as seguradoras ficam responsáveis também após o desembarque e no percurso complementar até o destino final.

“São por situações como essas que orientamos aos importadores que jamais realizem suas operações sem a contratação de um seguro de transporte internacional, pois correm o risco de sofrerem um enorme prejuízo em caso de algum sinistro no navio ou com sua carga”, explica Mariana Miranda, gerente de Subscrição Cargo Marine da Argo Seguros.

Unidos somos mais fortes Clube do Seguro - Feira de Santana - BA.

Escolha um
corretor e
solicite cotação
para seu seguro.