Dicas & Novidades

Máscaras contra o coronavírus: uso e eficácia

29/05/2020
Fonte: FONTE: Omint
como-usar-mascaras-covid_246561_img

Das máscaras caseiras às profissionais, todos buscam os melhores resultados na proteção contra o novo coronavírus.

O uso das máscaras contra o coronavírus é amplamente recomendado por instituições como a Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde do Brasil. Há diversos modelos disponíveis no mercado e, enquanto a demanda pelo equipamento cresce, estados e municípios vêm decretando o uso obrigatório em locais públicos.

Neste texto, vamos abordar os seguintes tópicos.

Quem deve usar máscara de proteção?
Testando os materiais mais eficazes
Máscaras caseiras: simples, reutilizáveis e DIY
Como cuidar da sua máscara

1. Quem deve usar máscara de proteção?
Nesse cenário, é preciso compreender as boas práticas e os fatores de risco no uso das máscaras de proteção, principalmente as caseiras. Isso porque a OMS recomenda o uso das profissionais apenas para alguns grupos, como:

– profissionais de saúde;

– pacientes infectados com o novo coronavírus;

– familiares cuidando de pessoas diagnosticadas com a doença.

Com isso, vamos entender o que isso significa para você.

Por que não eu?

O início da pandemia gerou uma demanda sem precedentes por máscaras contra o coronavírus, e a recomendação da OMS tem o intuito de garantir que os equipamentos mais eficazes cheguem às mãos de quem mais precisa. Mas isso não significa que quem não trabalha na área da saúde está desprotegido.

Os mesmos órgãos de saúde também apontam as máscaras caseiras como opção eficiente e viável para a maioria da população. Em matéria publicada pelo New York Times, especialistas afirmam que diversos materiais comuns são eficazes na tarefa de proteger indivíduos não infectados pelo vírus.

Assim, vemos que o uso de máscaras caseiras é uma ferramenta importante tanto na proteção individual quanto no apoio à linha de frente do combate ao vírus – para que esses profissionais tenham acesso aos equipamentos mais eficientes.

A máscara ajuda, mas não é a solução

Antes de tudo é preciso deixar claro que máscaras são itens essenciais apenas quando for absolutamente necessário sair de casa. Com tudo o que sabemos sobre o coronavírus, deve-se adotar os métodos de prevenção descritos a seguir:

– evite aglomerações e saia de casa o mínimo possível;

– manter-se a no mínimo 2 metros de outras pessoas quando em público;

– higienize as mãos frequentemente com água e sabão ou álcool em gel 70%;

– limpe as superfícies e objetos utilizados frequentemente.

2. Testando os materiais mais eficazes
Especialistas vêm pesquisando sobre os melhores materiais para máscaras de proteção desde os tempos da Influenza (pandemia de H1N1). Por isso, é necessário buscar os estudos mais atuais sobre o assunto, com a Covid-19 em foco.

Esse é o caso de um estudo recente, realizado por cientistas da Universidade Federal de Uberlândia. A pesquisa testou 15 tipos de máscaras e os classificou pela eficiência na proteção contra o vírus. Os resultados você confere abaixo:

guia_mascaras-768x822

O estudo se baseia na capacidade de retenção de partículas aerossóis que carregam o coronavírus, como gotículas de saliva contaminadas. Acredita-se que, ao bloquear o veículo de transmissão, é possível proteger o usuário.

Logo atrás dos modelos profissionais, as máscaras de algodão mostraram eficiência muito alta quando confeccionadas em três camadas, seguidas de perto por máscaras com duas camadas.

É necessário ressaltar que, apesar do bom resultado, os pesquisadores não recomendaram o uso dos filtros de papel contra a Covid-19. Isso se deve à vedação inferior e a uma rápida umidificação da máscara, prejudicial ao seu desempenho.

Leia também: Vacina da gripe: quem deve tomar?

mascaras-caseira-coronavirus

3. Máscaras caseiras: simples, reutilizáveis e DIY

Agora que sabemos como os diversos materiais se comportam diante do coronavírus, chegou a hora de falar sobre o uso de máscaras caseiras e como você pode adquirir uma.

A pandemia apresentou grande oportunidade para a confecção de equipamentos de proteção e, atualmente, é possível encontrar máscaras de tecido com preços e composições variadas. Assim, deve-se avaliar os modelos disponíveis e sua composição.

Em termos de efetividade, o algodão em três camadas cria uma das máscaras mais seguras contra o coronavírus, tornando-se, no momento, uma boa opção para ser usada.

Esse modelo pode ser facilmente replicado em máscaras caseiras, adicionando camadas com uma simples dobra do tecido. Se preferir, existem tutoriais DIY (Do It Yourself, ou seja, faça você mesmo) para quem deseja aprender a fazer a própria máscara contra o coronavírus. Confira informações e orientações nessa matéria da revista Saúde.

No artigo do jornal New York Times, encontramos algumas dicas do médico norte-americano Scott Segal. Ele estudou diversas variações de máscara e dá uma recomendação simples para saber se o material examinado é de boa qualidade:

“Segure-o contra uma luz forte. Se a luz passar com facilidade pelas fibras do tecido, ou se você puder ver as fibras contra a luz, o material não é uma boa escolha. Se o tecido tiver um tear mais denso ou for de um material mais grosso, que não permite que a luz passe por ele, este é o material que você quer usar.”

O estudo realizado pelos pesquisadores dos Estados Unidos ainda reforça que os tecidos analisados podem apresentar eficácia maior quando dobrados diversas vezes. Por isso é tão importante que a sua máscara possua camadas de proteção.

4. Como cuidar da sua máscara

Depois de comprar ou fazer máscara caseira, é hora de aprender a usá-la. Como as máscaras retêm partículas contaminantes, todas devem ser manuseadas com cuidado, higienizadas corretamente e seguir esse pequeno guia de boas práticas detalhado a seguir.

  1. A máscara é individual e nunca deve ser compartilhada. Certifique-se de que cada membro da família tenha no mínimo duas.
  2. Antes de qualquer procedimento com a máscara, lave bem as mãos.
  3. Nunca saia de casa sem a máscara. De preferência, ande sempre com duas e leve uma sacola plástica para guardar a máscara suja.
  4. A máscara de tecido possui tempo de uso máximo de 3 horas e deve ser trocada após esse período, devido à umidade produzida pela respiração.
  5. Certifique-se de que a máscara está selando corretamente o rosto, sem aberturas. O uso de esparadrapos e até óculos pode ajudar na fixação da máscara na região do nariz.
  6. Ao chegar em casa, siga essa ordem: retire os sapatos, lave bem as mãos e só então remova a máscara.
  7. Retire a máscara pelo elástico ou laço na parte traseira. Evite ao máximo tocar na parte frontal: ela pode estar contaminada.
  8. Higienize a máscara com uma solução de 2 colheres (sopa) de água sanitária para 1 litro de água. Mergulhe-a na mistura por 30 minutos e depois lave.
  9. Realize a lavagem com água e sabão, enxaguando com água corrente.
  10. Deixe secar e em seguida passe-a com um ferro quente.
  11. Máscaras devem ser armazenadas em sacos plásticos antes da próxima utilização.
  12. Nunca utilize a máscara se ela estiver úmida ou suja.
  13. Se notar qualquer desgaste no tecido, descarte-a.

Como vimos, máscaras de tecido são ótimas ferramentas para a sua proteção, mas lembre-se: a forma mais eficaz de se manter seguro é respeitando as diretrizes de isolamento e distanciamento social. Por isso, mantenha-se em segurança e lave bem as mãos. Informe-se em canais de confiança e conte com a Omint para proteger você e sua família. Cliente dos planos médicos têm acesso ao Dr. Omint Digital, serviço de telemedicina que orienta sobre dúvidas e sintomas por videoconferência ou telefone.

Unidos somos mais fortes Clube do Seguro - Feira de Santana - BA.

Escolha um
corretor e
solicite cotação
para seu seguro.